A História do protocolo TCP/IP – The Master of the Network

 

Há 13 anos trabalho com Automação residencial. Neste tempo, acabei usando alguns produtos de diferentes protocolos, e isso me deu certeza que se quiséssemos entregar algo inovador para o mercado, o protocolo que devia seguir é o TCP IP Wi-Fi para o sistema da WOW.  E assim trazendo aos integradores a tranqüilidade de que retrabalhos não serão uma realidade . Haroldo!


Segue texto com a História do protocolo
O TCP/IP foi desenvolvido em 1969 pelo U.S. Departament of Defense Advanced Research Projects Agency, como um recurso para um projeto experimental chamado de ARPANET (Advanced Research Project Agency Network) para preencher a necessidade de comunicação entre um grande número de sistemas de computadores e várias organizações militares dispersas. O objetivo do projeto era disponibilizar links (vínculos) de comunicação com alta velocidade, utilizando redes de comutação de pacotes. O protocolo deveria ser capaz de identificar e encontrar a melhor rota possível entre dois sites (locais), além de ser capaz de procurar rotas alternativas para chegar ao destino, caso qualquer uma das rotas tivesse sido destruída. O objetivo principal da elaboração de TCP/IP foi na época, encontrar um protocolo que pudesse tentar de todas as formas uma comunicação caso ocorresse uma guerra nuclear. A partir de 1972 o projeto ARPANET começou a crescer em uma comunidade internacional e hoje se transformou no que conhecemos como Internet. Em 1983 ficou definido que todos os computadores conectados ao ARPANET passariam a utilizar o TCP/IP. No final dos anos 1980 a Fundação Nacional de Ciências em Washington, D.C, começou a construir o NSFNET, um backbone para um supercomputador que serviria para interconectar diferentes comunidades de pesquisa e também os computadores da ARPANET. Em 1990 o NSFNET se tornou o backbone das redes para a Internet, padronizando definitivamente o TCP/IP.

O TCP/IP sempre foi considerado um protocolo bastante pesado, exigindo muita memória e hardware para ser utilizado. Com o desenvolvimento das interfaces gráficas, com a evolução dos processadores e com o esforço dos desenvolvedores de sistemas operacionais em oferecer o TCP/IP para as suas plataformas com performance igual ou às vezes superior aos outros protocolos, o TCP/IP se tornou um protocolo indispensável. Hoje ele é tido como “The Master of the Network” (O Mestre das Redes),pois a maioria das LANs exige a sua utilização para acesso ao mundo externo.

O TCP/IP oferece diversos benefícios, dentre eles:
Padronização: um padrão, um protocolo roteável que é o mais completo e aceito protocolo disponível atualmente. Todos os sistemas operacionais modernos oferecem suporte para o TCP/IP e a maioria das grandes redes se baseia em TCP/IP para a maior parte de seu tráfego.
Interconectividade: uma tecnologia para conectar sistemas não similares. Muitos utilitários padrões de conectividade estão disponíveis para acessar e transferir dados entre esses sistemas não similares, incluindo FTP (File Transfer Protocol) e Telnet (Terminal Emulation Protocol).
Roteamento: permite e habilita as tecnologias mais antigas e as novas a se conectarem à Internet. Trabalha com protocolos de linha como PPP (Point to Point Protocol) permitindo conexão remota a partir de linha discada ou dedicada. Trabalha como os mecanismos IPCs e interfaces mais utilizados pelos sistemas operacionais, como Windows sockets e NetBIOS.
Protocolo Robusto: escalável, multiplataforma, com estrutura para ser utilizada em sistemas operacionais cliente/servidor, permitindo a utilização de aplicações desse porte entre dois pontos distantes.
Internet: é através da suíte de protocolos TCP/IP que obtemos acesso a Internet. As redes locais distribuem servidores de acesso a Internet (proxy servers) e os hosts locais se conectam a estes servidores para obter o acesso a Internet. Este acesso só pode ser conseguido se os computadores estiverem configurados para utilizar TCP/IP.

As abrangências para a automação residencial são inúmeras. Proporcionando um sistema mais versátil de acordo com o perfil do cliente. É a internet das coisas de fato, sendo levada para a automação residencial. O sistema da WOW não necessita de um gateway de automação para realizar a comunicação. Todos os produtos já são inteligentes sem necessitar uma central de automação.

Bibliografia

  • Joseph G. Davies and Thomas F. Lee. Microsoft Windows Server 2003 TCP/IP Protocols and Services. ISBN 0-7356-1291-9
  • Craig Hunt. TCP/IP Network Administration. O’Reilly (1998) ISBN 1-56592-322-7
  • W. Richard Stevens. The Protocols (TCP/IP Illustrated, Volume 1). Addison-Wesley Professional; 1st edition (December 31, 1993). ISBN 0-201-63346-9.
  • Luciano Palma / Rubens Prates. TCP-IP Guia de Consulta Rápida — Novatec – ISBN 85-85184-72-8

Leve em conta estes 5 aspectos para uma rede Wi-Fi robusta

A nossa casa já esta conectada. Computadores, celulares, tablets, televisões, videogames e outros dispositivos já estão acessando o nosso sinal de internet da nossa casa. Este é o conceito de internet das coisas, que a cada dia, esta mais presente na nossa rotina. Ter uma rede Wi-Fi robusta na sua casa é mandatório, para o seu conforto, segurança e entretenimento.
Para uma boa conexão da rede Wi-Fi, além de uma velocidade de internet boa, é necessário um roteador de internet confiável e moderno. É o roteador que irá compartilhar a internet do modem com outros dispositivos que você tem na sua casa.
O sistema de automação da WOW, é totalmente Wi-Fi IP, por isto todas casas automatizadas com o nosso sistema possuem uma rede de Wi-Fi muito boa. Por isto, redes Wi-Fi, são uma especialidade da nossa empresa e de todos os nossos parceiros revendedores, que são treinados por nós.  Separamos a seguir, algumas informações importantes para melhorar o sinal Wi-Fi da sua casa, e dicas de roteadores homologados por nós. Independente se você quer ter um sistema de automação WOW ou não, todos nós queremos assistir o Netflix e navegar na internet de forma rápida, não é mesmo?
Vale ressaltar que, o sistema da WOW, mesmo sendo Wi-Fi, não irá consumir banda na sua rede. Os dispositivos fazem apenas uma pesquisa a cada 1 minuto na sua rede para verificar a intensidade do sinal.
Ao comprar um roteador Wi-Fi é sempre importante atentar para 5 aspectos:
1• Padrão utilizado
2• Intensidade de sinal
3• Velocidade contratada de internet
4• Quantidade de dispositivos
5• Tamanho da residência
O padrão mais vendido e mais barato é o tipo N, entretanto, o padrão N já possuí diversas limitações de alcance de sinal. Opte sempre pelos modelos AC, que também são chamados de 5º geração, e conseguem transmitir dados com qualidade mais elevada para os seus dispositivos.
Outro aspecto importante é a relação da velocidade do roteador “Mbps” com a velocidade de internet que você tem contratada para a sua casa. Não adianta comprar um roteador que atenda até 750Mbps, se a internet contratada que você possuí é de 10Mbps de velocidade.  É importante pensar também, quantos dispositivos estarão utilizando o sinal do roteador, bem como, o tamanho da sua casa. Em um espaço de 150m2 provavelmente precisará de mais de um roteador distribuído no local.
A D-Link fornece uma tabela muito útil para fazer esta avaliação, confira abaixo:
tabela – roteadores rede wi-fi
Possuímos diversos fabricantes de roteadores e modelos homologados ao sistema WOW de automação, e que consideramos soluções excelentes. Abaixo, listamos as 3 opções mais utilizadas pelos nossos parceiros em seus projetos.
1 Apple Air Port Express – melhor para integração com dispositivos Apple
2 Ubiquiti Unifi – solução muito robusta para espaços comerciais e residências grandes
3 Tp-Link Archer c60 (melhor custo benefício, valor médio no mercado de R$ 240,00)
É interessante sempre procurar um especialista que irá lhe auxiliar para montar uma rede wi-fi adequada para a sua residência. Se você quer a indicação de algum especialista, entre em contato com a WOW, que lhe indicaremos um mais próximo de você.
Acesse www.wow.ind.br